Castelo de Germanelo

Mandado erigir por D. Afonso Henriques entre 1142 e 1144, típico do período da Reconquista, acredita-se que este castelo tenha tido origem num castro romanizado. Pequeno recinto de forma aproximadamente triangular e linhas curvas, o Castelo de Germanelo totaliza 107 metros de perímetro.

O troço da muralha norte, hoje orgulhosamente erguida por força do ilustre penelense Dr. Salvador Dias Arnaut  já no século XX, apresenta um coroamento de 17 ameias. Dos outros dois troços sobrevivem apenas ruínas, em geral pouco elevadas acima do nível do solo. A sua reconstrução aconteceu após um estudo aprofundado dos testemunhos escritos ainda existentes a que se associaram estudos geológicos e arqueológicos na década de 70, estudos esses que permitiram localizar as antigas portas, a cisterna e fundações residenciais localizadas na praça de armas.

Do alto do monte com o mesmo nome, que pontua, o visitante pode disfrutar de uma paisagem magnífica sobre o vale do Rabaçal, com toda a beleza árida do maciço cársico do Sicó a seus pés e, ao longe, pode ainda vislumbrar a linha da velha estrada romana, ainda hoje percetível daquele lugar.

Ainda hoje o povo conta, orgulhosamente, uma lenda de dois gigantes, baseada na existência de dois montes de forma semelhante com significativa proximidade entre si, facto que originou a que fossem designados de  ("germanelos" = "gémeos" ou "irmãozinhos").
Segundo esta lenda, habitavam estes montes dois gigantes, irmãos e ferreiros, cada um no seu monte: um no Jerumelo, a Sul, e outro no Germanelo, a Norte. Como dispunham apenas de um martelo, partilhavam-no, à vez, entre si, pedindo-o de um monte para o outro com a sua poderosa voz de gigante.

Certo dia, o gigante do monte Jerumelo, de mau-humor, atirou o martelo com tanta força que este se desconjuntou no ar, tendo o malho de ferro caído ali perto, no sopé do monte, onde ainda hoje existe uma fonte de águas férreas, no lugar da Fartosa (de "Ferratosa"). O cabo, mais leve e feito de madeira de zambujo, caiu mais longe e cravou-se no chão,  tendo voltado a germinar. Ainda hoje, a poucos quilómetros do Rabaçal, encontramos a povoação de nome Zambujal.

Visite este local e, acreditamos, enquanto se deslumbra com a paisagem, ainda conseguirá ouvir ao longe, o soar do malho dos gigantes Germanelos.

Contacto (+351) 239 561 132 (Posto de Turismo)
E-mail turismo@cm-penela.pt
Website https://www.cm-penela.pt/
Morada Castelo do Germanelo
Horário Acesso livre. Acessível de automóvel apenas até parte do percurso.

Book now